Muitas pessoas não se questionam ou não imaginam o impacto da incontinência urinária na qualidade de vida de um indivíduo. O processo de aceitação deste problema é fundamental para promover a mudança. Ainda é difícil falar sobre o assunto ou procurar ajuda na medida que o tema ainda está envolto em crenças e estereótipos, tais como, pessoas que apresentam incontinência urinária inseridas na população com mais de 45 anos tendem a achar que é um processo natural da idade, mulheres no pós-parto pensam que é uma condição inerente a etapa de vida, acreditando ser eventual e passageiro, ou que é um processo degenerativo, jovens acham que foi um episódio de perda de controlo ocasional do seu corpo. Estas crenças e o receio de falar sobre o assunto com alguém, geralmente, dificultam a identificação do problema, o pedido de ajuda e o tratamento.

A incontinência urinária é descrita por muitas pessoas por causar mais danos emocionais e sociais do que físicos. Trata-se de um problema oculto, muitas vezes subestimado pelo doente e pelos profissionais de saúde, que acarreta mudanças significativas nas actividades diárias, podendo causar elevados níveis de ansiedade, depressão, isolamento social, vergonha, angústia, sentimento de culpa, diminuição da auto-estima e dificuldades sexuais.

O receio de procurar ajuda pode estar associado a falta de conhecimento sobre a sua anatomia, fisiologia e sobre os tratamentos disponíveis. Algumas pessoas desenvolvem sintomas de ansiedade e/ou de depressão e, por vezes, procuram ajuda para tratar o problema secundário (psicológico), negligenciando o primário (incontinência urinária). O tratamento para incontinência urinária existe e tem uma taxa de sucesso elevada. Recomenda-se fazer uma avaliação médica, fisioterapia e se os problemas emocionais e/ou sexuais estiverem instalados e/ou acentuados, também é recomendado intervenção psicológica para ajudar no processo emocional e adaptativo. O tratamento adequado é um factor precursor do bem-estar e da qualidade de vida do indivíduo que sofre de incontinência urinária.