Crónicas

Por Margarida Maria

Arnaldo de Sousa Dantas da Gama nasceu no Porto, no dia 1 de Agosto de 1828. Morreu na mesma cidade em 29 de Agosto de 1869. Alguém sabe quem ele foi? Alguém se lembra dele? Há escritores e escritores. Arnaldo Gama era escritor e tem das páginas mais belas da literatura portuguesa. Ninguém se lembra dele, apesar de, em algum momento, até ter tido livros adoptados no ensino secundário em Portugal.

Lembrei-me hoje de escrever sobre Arnaldo Gama porque ele foi o pioneiro dos romances históricos no nosso País, ainda que se tenha centrado na História da cidade do Porto.

Por Margarida Maria

Não, este texto não se refere ao famoso filme Les Uns e Les Autres, mas sim a uns e a outros que passam e cruzam as nossas vidas. Foi uma velhinha que se cruzou na minha e me deixou com vontade de criar um grupo terrorista e andar à chapada.

Abeirou-se de mim muito devagar, delicadamente, pedindo para me dar «uma palavrinha». O aspecto era limpo e cuidado. Tinha 84 anos e o centro de dia estava fechado para férias. Já eu me via a fazer-lhe um bocado de companhia quando ela me disse que o problema era que ainda não tinha comido nada, que nunca pediu nada a ninguém, que foi empregada doméstica, mas não pode trabalhar mais, que a pensão não chegou para os medicamentos, aviados na farmácia à confiança, e que, se eu pudesse, lhe podia «dispensar» algum a coisa para comprar um pão.

Por Margarida Maria

A Maria tem 20 anos. Nestas férias foi passar uns dias a uma aldeia do centro do País. Havia uma Feira Medieval que ela não queria perder, nem por nada desta vida. E foi aí que conheceu duas jovens de 12 anos, meninas criadas no campo, que aspiram aos ares poluídos de uma grande cidade.

Contou-me isto hoje, quando fomos às compras e lhe pedi dois minutos para ir comprar cigarros. Sim, eu fumo, mas a minhas filhas não o fazem, felizmente. Não me orgulho de fumar, mas também não me penitencio, verdade seja dita. Todavia, tendo educado as minhas filhas no direito ao livre arbítrio, dei-lhes sempre (ou procurei dar) todas as ferramentas para poderem escolher: é verdade que fumo, mas sou de uma geração em que não eram conhecidos os malefícios do tabaco e em que fumar nos dava estatuto e nos fazia parecer "crescidos". Hoje, com a informação que existe disponível, os jovens só fumam se forem muito estúpidos ou idiotas. Porque fumar deixou de ser cool e passou a ser sinal de falta de inteligência.

Por Margarida Maria

Quando eu era mais jovem, com ironia, os meus irmãos e eu afirmávamos que o meu Pais sofria de uma inacreditável pontualidade atrasada. Na verdade, somente aos domingos ele chegava a casa e às 13 horas todos tínhamos de estar à mesa. Quem não estivesse… não comia! Verifico hoje que a falta de respeito pelos horários é uma constante. Mas será a falta de respeito pelos horários ou, simplesmente, pelo outro?

Recentemente uma amiga contou-me que o chefe marcou uma reunião às 14 horas. Ela tinha um compromisso às 16 e, como o chefe não chegava, foi-se embora. Mais tarde, recebeu um telefonema irado do mesmo chefe, porque ela não tinha esperado. Respondeu-lhe que, a partir desse dia, as 14 horas eram 14 horas e não 17. Porque, se fossem 17, a reunião seria agendada para essa hora. Disse-me, dias mais tarde, que o chefe passou a estar nas reuniões à hora marcada.

Por Margarida Maria

Thylane Blondeau é uma criança. Os pais são famosos: ele é um ex-futebolista e ela uma apresentadora de televisão. Thylane Blondeau teria tudo para ser uma criança mimada (no melhor sentido da palavra) e feliz. Mas é modelo desde os quatro anos e agora, aos dez, foi capa da revista francesa Vogue. A maquilhagem carregada, as jóias caras, os saltos altos, os lençóis com padrão de leopardo e as poses sensuais transformaram a criança em mulher (?), numa imagem distorcida do que é ser criança e ser mulher.

As críticas não se fizeram esperar e o mundo manifestou-se contra esta situação, ainda que muitos colunáveis e notáveis (?) defendessem que é tudo uma forma de arte.