A sexualidade feminina tem sido alvo de estudo nestes últimos anos, mesmo assim, ainda hoje pouco se conhece sobre este assunto. É verdade que cada vez mais o tema salta da gaveta e ganha mais protagonismo, ajudando muitas mulheres a atribuir um significado adequado à sua sexualidade, bem como angariar informações apropriadas. No entanto, esta mudança de contexto não elimina a possibilidade da mulher não conseguir viver sua sexualidade de forma plena e prazerosa. Estima-se que a prevalência cumulativa de Disfunções Sexuais Femininas (DSF) circunde os 43%, podendo afectar o desejo sexual, a lubrificação, o orgasmo ou provocar dificuldade na penetração e dores durante o coito. Na presença de DSF, torna-se urgente um tratamento adequado para que a mulher possa garantir satisfação sexual e conjugal, podendo assim, conseguir um nível satisfatório de qualidade de vida.

Veja aqui o video da rubrica Coordenadas do Sexo dedicado ao tema: "Disfunções Sexuais Femininas".